LIFTING FACIAL

LIFTING FACIAL OU RITIDOPLASTIA (CIRURGIA DA FACE)

O lifting facial é uma das cirurgias plásticas mais procuradas pelos(as) pacientes, num consultório de cirurgia plástica. Trata-se de conduta que permite resultados bastante naturais desde que cirurgião e paciente discutam detalhadamente sobre as possibilidades de resultado, durante o pré-operatório.
Com o progredir da idade, a pele vai perdendo sua elasticidade e turgor, levando a um excesso de pele na face. A força da gravidade, por sua vez, age puxando esse excesso para baixo, fazendo com que aprofundem os vincos entre o nariz e a boca (sulco nasogeniano), entre outras marcas da pele.
A cirurgia plástica visa melhorar o aspecto da flacidez, rugas, sulcos, etc., dando assim um rejuvenescimento à face. As cicatrizes, entretanto, serão permanentes, apesar de irem se tornando cada vez menos visíveis com o decorrer do tempo.
Enquanto isto não ocorre, recursos cosméticos como a maquiagem e penteados adequados disfarçam perfeitamente o inconveniente criado pelas cicatrizes recentes. Além disso, cada paciente comporta-se diferentemente de outro(a), em relação à evolução das cicatrizes, podendo, mesmo, em certos casos, tornar-se praticamente inaparente.
A cirurgia da face, pescoço e pálpebras rejuvenesce visualmente esses territórios. “Ela retarda mas não interrompe o processo evolutivo do organismo”. Em alguns casos, há necessidade de um retoque da pele (que se encontra frouxa) após certo tempo.




INDICAÇÃO

Presença de rugas, flacidez e excesso de pele na face.



PÓS OPERATÓRIO

O curativo compressivo e o dreno são retirados em 24 horas. É comum a ocorrência de edema (inchaço) e equimose (roxidão), os quais geralmente regridem em até 21 dias. Muito raramente ocorre dor no pós-operatório. Ocasionalmente um ou outro caso poderá apresentar discreta dor, que poderá ser perfeitamente sedada com analgésicos de linha comum. recuperação total com o passar do tempo. Deve-se evitar exposição solar por 30 dias no mínimo, sendo importante o uso de bloqueadores solar até 6 meses da cirurgia.



COMPLICAÇÕES

Um preparo pré-operatório adequado é fundamental para evitá-las. Apesar de incomuns, podemos citar: hematoma, deiscência (abertura de pontos), alterações da cicatrização, sofrimento de pele, infecção, lesões de nervos e problemas anestésicos. É importante notar que todas complicações são mais comuns em pacientes fumantes, sendo indispensável parar de fumar por pelo menos 14 dias antes da cirurgia.



RESULTADO DEFINITIVO

É importante lembrar que, até que se consiga atingir o resultado almejado, diversas fases evolutivas são características deste tipo de cirurgia. Assim é que edemas (inchaço), “manchas” de infiltrado sangüíneo, hipersensibilidade de algumas áreas, insensibilidade de outras, são comuns a todos os pacientes; evidentemente, alguns pacientes apresentarão estes fenômenos com menor intensidade que outros. O resultado definitivo é alcançado com 6 meses, pois esse é o tempo que leva para a cicatriz amadurecer e para que ocorra reabsorçã
ANESTESIA

Local com sedação ou geral, dependendo das áreas tratadas o procedimento pode durar até 7h.
TEMPO DE INTERNAÇÃO

De 12 a 24 horas.